Quarta-feira, 15 de Julho de 2015

A importância do teste da diabetes

Sabia que 1 em 4 pessoas desconhece que tem diabetes?

O aumento da obesidade e vida sedentária na sociedade ocidental tem tido um impacto devastador na nossa saúde, como a epidemia de diabetes tipo 2 evidencia.

Vinte e nove milhões de americanos têm diabetes e, segundo os Centros para o Controlo e Prevenção de Doenças (CDC), 25% deles nem sequer sabem disso.

Por que razão passam despercebidos tantos casos de diabetes?

Em primeiro lugar, muitas pessoas não conhecem os sintomas − aumento da sede e micção frequente, bem como fadiga inexplicável.

Em segundo lugar, não estamos a fazer o teste da diabetes tão regularmente como deveríamos. 

O CDC relata que 1 em cada 3 pessoas têm pré-diabetes, o que significa que os seus níveis de açúcar no sangue são mais elevados do que o normal, mas sem serem classificados como diabéticos. Porém, isso não significa que eles não estejam a caminho de receber um diagnóstico oficial.

Uns 30% dos indivíduos pré-diabéticos irão desenvolver diabetes tipo 2, a menos que alterem os seus hábitos alimentares e comecem a fazer exercício físico.

A pré-diabetes indicia que o organismo não está a responder de forma adequada à hormona insulina, que ajuda no processamento da glicose e mantem sob controlo os níveis de açúcar no sangue

Eventualmente, a pessoa torna-se resistente à insulina, o que significa que esta já não consegue enviar a glicose para fora da corrente sanguínea.

O corpo reage libertando mais insulina para tentar diminuir os níveis de açúcar no sangue, mas eventualmente a insulina já não responde e os níveis de açúcar aumentam de forma dramática, resultando na diabetes tipo 2.

Diabetes tipo 2: é classificada como uma desordem metabólica que se desenvolve quando o organismo não consegue produzir ou usar adequadamente a insulina. A diabetes tipo 2 representa 90-95% de todos os diagnósticos de diabetes, o que é sobretudo lamentável porque pode ser totalmente evitada com alimentação adequada e exercício.

Diabetes tipo 1: é uma doença auto-imune que surge em crianças e adultos jovens cujos pâncreas não produzem insulina, ou produzem quantidades muito pequenas da hormona. As pessoas com diabetes tipo 1 devem tomar insulina toda a vida.

A pré-diabetes, diabetes tipo 2 e diabetes tipo 1 podem ser diagnosticadas e monitorizadas com um simples exame ao sangue. O rastreio regular é imprescindível, pois a diabetes não diagnosticada pode eventualmente provocar:

  • Glaucoma, catarata e retinopatia diabética, os quais causam a perda de visão
  • Hipertensão
  • Doenças cardíacas, sendo a morte por doença cardíaca entre os diabéticos 2 a 4 vezes superior à incidência normal
  • Acidente vascular cerebral (AVC)
  • Lesões nos nervos
  • Danos nos rins
  • Doença arterial periférica

Enquanto muitos exames e rastreios médicos têm sido justamente acusados como sendo desnecessários e levando a diagnósticos falso-positivos e tratamentos prejudiciais, o teste da diabetes é crucial! Toda a gente deveria fazer o teste da hemoglobina glicada (A1C) para se certificar de que não estão entre os 25% de casos não diagnosticados.

A Associação Americana da Diabetes (ADA) recomenda que os adultos acima dos 45 anos sejam rastreados para a diabetes tipo 2, a cada 3 anos.

A hemoglobina A1C rastreia a percentagem de açúcar no sangue ligado à hemoglobina (a proteína que transporta o oxigénio nas células vermelhas do sangue). Quanto maior o nível de açúcar no sangue, mais açúcar a hemoglobina transporta. O teste é altamente eficaz, uma vez que mede os níveis médios de açúcar no sangue ao longo de 3 meses. Os especialistas concordam que se deve fazer o teste de rotina para ajudar a prevenir o risco de desenvolver complicações crónicas e potencialmente fatais, que podem ser a consequência da diabetes não diagnosticada.

http://undergroundhealthreporter.com/the-importance-of-diabetes-testing/

 

publicado por Rui Vaz às 22:46
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.mais sobre mim

.pesquisar

 

.temas principais

  • Anti-envelhecimento
  • Fitoterapia
  • Nutrição

  • Receitas
  • Saúde mental
  • Suplementos
  • Terapias
  • .posts recentes

    . Exercício físico

    . Cinco analgésicos perigos...

    . Exercício da serpente par...

    . Frango com vinagrete de m...

    . A manteiga faz mal à saúd...

    . O perigo das garrafas plá...

    . Alimentos que queimam gor...

    . Chá de pimenta-caiena

    . Relaxe: Controle o estres...

    . As sementes de damasco pr...

    . Cúrcuma para a depressão

    . Frango com limão

    . Sistema físico ideal de t...

    . Mantenha um diário de gra...

    . Problemas do sono

    . É seguro cozinhar com aze...

    . Schisandra: o fruto silve...

    . “Cereais” rápidos e croca...

    . Como fazer um lift facial...

    . Combata a postura sentada...

    .arquivos

    . Novembro 2015

    . Outubro 2015

    . Setembro 2015

    . Agosto 2015

    . Julho 2015

    .tags

    . anti-envelhecimento

    . anti-inflamatório

    . antibiótico natural

    . anticancerígeno

    . antioxidante

    . cancro

    . cérebro

    . colesterol

    . desintoxicação

    . doença cardíaca

    . doença de alzheimer

    . estresse

    . exercício físico

    . facto ou mito

    . fitoquímico

    . fitoterapia

    . nutrição

    . óleo essencial

    . ómega-3

    . químico tóxico

    . receita sem glúten

    . suplemento

    . terapia

    . toxina

    . vitamina

    . todas as tags

    .links

    RSS