Terça-feira, 27 de Outubro de 2015

Os corantes alimentares artificiais são perigosos?

Food dyes (27-10-15)

Isso é um FACTO.

Já se perguntou como é que o macarrão ficou tão cor de laranja e o ponche de frutas tão vermelho? E quanto ao iogurte colorido de morango de que gosta tanto? Ou mesmo a água vitaminada em tons de roxo, que deveria estar a reabastecer o corpo com electrólitos? Por muito tentadores que esses alimentos e bebidas coloridos possam parecer, eles estão carregados com corantes alimentares artificiais que se demonstrou conterem compostos cancerígenos.

Apesar do aumento do risco de tumores, alergias, e distúrbios de comportamento e do humor, os corantes alimentares artificiais são predominantes em produtos de panificação, cereais, alimentos processados e embalados, doces e produtos farmacêuticos. Os fabricantes de alimentos usam cinco vezes mais corantes artificiais hoje do que há 30 anos atrás! E, apesar dos avisos do Centro para a Ciência no Interesse Público, a FDA recusa-se a proibir esses corantes em alimentos, medicamentos e produtos de higiene pessoal.

O corante alimentar vermelho aparece em rebuçados, cereais, sobremesas, salsichas e cerejas cristalizadas. Demonstrou-se que o corante vermelho n° 2 (encontrado em laranjas da Florida) aumenta o risco de tumores da bexiga. O corante vermelho n° 3 (ou eritrosina) foi proibido em produtos de uso externo, mas continua a ser um componente comum nos alimentos que ingeremos. É considerado um carcinogéneo e tem sido associado a alergias, dificuldades de aprendizagem, distúrbios de humor e hiperactividade em crianças. O corante alimentar mais comum, corante vermelho nº 40 − rotulado FD&C, vermelho nº 40, vermelho allura, e vermelho 40 − é derivado do petróleo e tem sido associada a efeitos secundários, tais como:

  • Urticária
  • Inchaço da boca
  • Hipersensibilidade
  • Cancro

Vários estudos indicam que o corante alimentar vermelho causa danos no ADN de ratos. É seguro assumir que o nosso ADN não fica muito melhor.

Os corantes alimentares amarelo e azul ainda estão em fase de testes, mas os resultados preliminares sugerem que estes corantes contribuem para problemas comportamentais em crianças, agravam alergias e sintomas de asma, e provocam tumores no cérebro, rins e glândulas suprarrenais. Evite:

  • Amarelo nº 5 (tartrazina)
  • Amarelo nº 6
  • Azul nº 1
  • Azul nº 2 (indigotina)
  • Verde nº 3
  • Laranja B

Se vir “laca” na lista de ingredientes, tenha cuidado! Trata-se apenas de um corante alimentar insolúvel em água, e é igualmente perigoso!

Desde a década de 1970, os pesquisadores vêm estudando a ligação entre corantes alimentares artificiais e o transtorno de défice de atenção e hiperactividade (TDAH). Uma análise de 21 estudos descobriu que os corantes artificiais influenciam a hiperactividade, agitação e problemas de atenção. A remoção dos corantes alimentares provou ter cerca de metade da eficácia da ritalina e outros estimulantes farmacêuticos na redução dos sintomas, o que levanta a questão − se os corantes alimentares não fizessem mais parte da nossa fonte alimentar, seriam os medicamentos para a TDAH e remédios afins necessários?

Um estudo britânico de 2007, publicado na revista The Lancet, confirmou a ligação entre corantes alimentares e problemas de comportamento. O Reino Unido, assim como outros países europeus, respondeu pela eliminação progressiva do uso de corantes artificiais nos alimentos. Empresas como Kraft e Mars têm removido os corantes dos seus alimentos processados vendidos na Europa. Nos Estados Unidos, a história é diferente. As massas, o queijo e as barras de chocolate ainda contêm corantes alimentares prejudiciais! E por que não? A FDA recusa-se a proibir estes ingredientes, então por que razão os fabricantes de alimentos se iriam preocupar em removê-los?

Toda a gente gosta de um prato colorido, mas lembre-se que não tem de sacrificar a saúde para adicionar um pouco de cor à sua vida. Dê cor (e sabor) à comida com um corante alimentar natural seguro, como sumo de beterraba, pimentão, caroteno, couve roxa e açafrão-da-índia. 

Food dyes (colors) (27-10-15)

http://undergroundhealthreporter.com/fact-or-myth-are-artificial-food-dyes-dangerous/ 

 

publicado por Rui Vaz às 08:23
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.mais sobre mim

.pesquisar

 

.temas principais

  • Anti-envelhecimento
  • Fitoterapia
  • Nutrição

  • Receitas
  • Saúde mental
  • Suplementos
  • Terapias
  • .posts recentes

    . Exercício físico

    . Cinco analgésicos perigos...

    . Exercício da serpente par...

    . Frango com vinagrete de m...

    . A manteiga faz mal à saúd...

    . O perigo das garrafas plá...

    . Alimentos que queimam gor...

    . Chá de pimenta-caiena

    . Relaxe: Controle o estres...

    . As sementes de damasco pr...

    . Cúrcuma para a depressão

    . Frango com limão

    . Sistema físico ideal de t...

    . Mantenha um diário de gra...

    . Problemas do sono

    . É seguro cozinhar com aze...

    . Schisandra: o fruto silve...

    . “Cereais” rápidos e croca...

    . Como fazer um lift facial...

    . Combata a postura sentada...

    .arquivos

    . Novembro 2015

    . Outubro 2015

    . Setembro 2015

    . Agosto 2015

    . Julho 2015

    .tags

    . anti-envelhecimento

    . anti-inflamatório

    . antibiótico natural

    . anticancerígeno

    . antioxidante

    . cancro

    . cérebro

    . colesterol

    . desintoxicação

    . doença cardíaca

    . doença de alzheimer

    . estresse

    . exercício físico

    . facto ou mito

    . fitoquímico

    . fitoterapia

    . nutrição

    . óleo essencial

    . ómega-3

    . químico tóxico

    . receita sem glúten

    . suplemento

    . terapia

    . toxina

    . vitamina

    . todas as tags

    .links

    RSS