Sábado, 25 de Julho de 2015

Podem os peptídeos de um fungo reduzir o excesso de gordura abdominal?

Isso é um FACTO.

Existem dois tipos de gordura:

  1. A gordura subcutânea, que se encontra debaixo da pele
  2. A gordura visceral, que envolve os órgãos internos na cavidade abdominal (estômago, fígado, etc.)

Embora a gordura visceral tenha sido denunciada como a mais mortífera, tanto a gordura visceral como a subcutânea na região abdominal têm sido associadas ao maior risco de doença metabólica. O excesso de gordura abdominal aumenta o risco de doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, doença de Alzheimer, osteoporose e alguns tipos de cancro. Depósitos de gordura em excesso são terreno fértil para as moléculas sinalizadoras pró-inflamatórias chamadas citocinas, que causam resistência à insulina, níveis elevados de açúcar no sangue e aterosclerose. 

O excesso de gordura abdominal ganhou a fama de ser o tipo mais “teimoso” de gordura... e com razão. Apesar dos esforços físicos e dieta zelosa de muitas pessoas, a gordura abdominal excessiva parece pender sobre a cintura com um aperto mortal. Uma nova pesquisa sugere uma possível solução para a gordura na barriga. Parece que um complexo de peptídeos derivados de uma levedura pode reduzir a ingestão de calorias e inibir a acumulação de gordura proveniente das calorias em excesso. Os participantes de um estudo recente perderam 5 cm na cintura − são dois furos no cinto!

Os peptídeos derivados de Saccharomyces cerevisiae são um complexo de peptídeos especializados, isolados por meio de um processo de fermentação natural similar ao que se utiliza na produção de cerveja (como na levedura de cerveja). Estudos em seres humanos mostram que esses peptídeos têm um impacto significativo na perda de peso, diminuindo a gordura abdominal e fazendo baixar o índice de massa corporal (IMC). Estes peptídeos regulam as hormonas no cérebro, influenciando as moléculas sinalizadoras envolvidas na produção e controlo do apetite. Eles também suprimem a actividade das enzimas responsáveis pelo armazenamento de gordura, inibindo assim a acumulação excessiva de depósitos adiposos. Vejamos quais os efeitos dos peptídeos derivados de Saccharomyces cerevisiae sobre o excesso de gordura abdominal, em três estudos com seres humanos:

1) Jornal de Ciência Alimentar e Nutrição: 30 estudantes universitárias obesas receberam um placebo ou peptídeos derivados de Saccharomyces cerevisiae, 2 vezes por dia, durante 6 semanas. As mulheres que receberam o suplemento peptídeo perderam uma média de 1,1 kg com uma diminuição de 0,44 no IMC. As mulheres que tomaram o placebo perderam apenas 0,2 kg em média, com uma queda de 0,08 no IMC.

2) Jornal de Biologia Alimentar: Mulheres obesas jovens com 28% ou mais de gordura corporal total tomaram um placebo ou 250 mg de peptídeos derivados de Saccharomyces cerevisiae, 2 vezes por dia, durante 4 semanas. O grupo do suplemento peptídeo perdeu uma média de 1,7 kg, enquanto o grupo de controlo perdeu apenas uma média de 0,7 kg.

3) Jornal de Nutrição: Pesquisadores usaram TC (tomografia computadorizada) para medir as reservas de gordura abdominal de mulheres jovens e de meia-idade, na região da Ásia-Pacífico. Os sujeitos receberam 500 mg de peptídeos ou um placebo, 30 minutos antes do pequeno-almoço e do jantar. As que tomaram o suplemento peptídeo tiveram uma redução de 25,3% no consumo diário de calorias (cerca de 400 calorias), enquanto aquelas que tomaram o placebo reduziram a ingestão diária de calorias em apenas 6,3%. Estes resultados traduzem-se numa diminuição de 2 kg na massa de gordura corporal!

Embora seja necessário realizar mais estudos, parece que os peptídeos derivados de Saccharomyces cerevisiae estão a surgir como uma ajuda bastante viável para reduzir o excesso de gordura abdominal. Consulte sempre o seu profissional da saúde, antes de adicionar qualquer suplemento ao regime alimentar. 

http://undergroundhealthreporter.com/fact-or-myth-can-saccharomyces-cerevisiae-derived-peptides-reduce-excess-abdominal-fat/

 

publicado por Rui Vaz às 12:17
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.mais sobre mim

.pesquisar

 

.temas principais

  • Anti-envelhecimento
  • Fitoterapia
  • Nutrição

  • Receitas
  • Saúde mental
  • Suplementos
  • Terapias
  • .posts recentes

    . Exercício físico

    . Cinco analgésicos perigos...

    . Exercício da serpente par...

    . Frango com vinagrete de m...

    . A manteiga faz mal à saúd...

    . O perigo das garrafas plá...

    . Alimentos que queimam gor...

    . Chá de pimenta-caiena

    . Relaxe: Controle o estres...

    . As sementes de damasco pr...

    . Cúrcuma para a depressão

    . Frango com limão

    . Sistema físico ideal de t...

    . Mantenha um diário de gra...

    . Problemas do sono

    . É seguro cozinhar com aze...

    . Schisandra: o fruto silve...

    . “Cereais” rápidos e croca...

    . Como fazer um lift facial...

    . Combata a postura sentada...

    .arquivos

    . Novembro 2015

    . Outubro 2015

    . Setembro 2015

    . Agosto 2015

    . Julho 2015

    .tags

    . anti-envelhecimento

    . anti-inflamatório

    . antibiótico natural

    . anticancerígeno

    . antioxidante

    . cancro

    . cérebro

    . colesterol

    . desintoxicação

    . doença cardíaca

    . doença de alzheimer

    . estresse

    . exercício físico

    . facto ou mito

    . fitoquímico

    . fitoterapia

    . nutrição

    . óleo essencial

    . ómega-3

    . químico tóxico

    . receita sem glúten

    . suplemento

    . terapia

    . toxina

    . vitamina

    . todas as tags

    .links

    RSS