Sábado, 29 de Agosto de 2015

Vitamina D para a saúde do cérebro

Sabia que a “vitamina do sol” não só mantém os ossos saudáveis, mas também conserva o cérebro saudável?

A ligação entre a vitamina D, a chamada “vitamina do sol”, e a saúde óssea tem sido realçada há muitos anos. Contudo, outra conexão de crucial importância manteve-se na sombra.

Pesquisas recentes têm clarificado uma ligação entre níveis inadequados de vitamina D e a demência, sugerindo que se deve começar a fazer da vitamina D uma prioridade para a saúde do cérebro!

O autor do estudo, dr. David Llewellyn, disse que os pesquisadores esperavam encontrar uma associação, mas a robustez das descobertas apanhou-os de surpresa. Os participantes do estudo que eram deficientes em vitamina D tinham uma propensão significativamente maior para desenvolver demência e Alzheimer. “Na verdade, verificou-se que a associação foi o dobro do esperado”, disse Llewellyn. 

Llewellyn e os seus colegas mediram os níveis de vitamina D em amostras de sangue extraídas de 1.658 homens e mulheres com idades acima de 65 anos. No início do estudo, nenhum dos participantes tinha demência. Durante o período de cinco anos de acompanhamento, 171 desenvolveram demência e 102 dos participantes foram diagnosticados com a doença de Alzheimer.

Para efeitos de comparação, os autores separaram os participantes em três níveis:

  • Aqueles cujos níveis de vitamina D eram de 50 ou mais nanomoles (uma unidade de medida de fluido) por litro
  • Aqueles cujos níveis eram entre 25 e 50 nanomoles
  • Aqueles cujos níveis eram de 25 ou menos nanomoles

Em comparação com o primeiro nível, o risco de que os indivíduos do segundo nível de 25 a 50 nanomoles iriam desenvolver demência era 53% maior, e o risco de desenvolver especificamente Alzheimer era 69% maior. No final do estudo, os indivíduos no terceiro nível tinham mais do dobro da probabilidade de ter doença de Alzheimer ou outro tipo de demência.

Este aumento do risco merece séria atenção, porque o estudo controlou muitos factores conhecidos de risco de demência, tais como:

  • Idade
  • Educação
  • Género
  • Índice de massa corporal (IMC)
  • Fumar
  • Consumo de álcool
  • Diabetes
  • Hipertensão

Os autores do estudo tiveram o cuidado de lembrar aos leitores que os resultados não provam que níveis baixos de vitamina D causam demência. Até serem realizados ensaios clínicos em grande escala, os cientistas vão abster-se de fazer tal afirmação.

Porém, a ameaça de demência não vai esperar e nós também não deveríamos, segundo a maioria dos especialistas em saúde natural. A demência é uma das preocupações de saúde mais prementes do nosso tempo. Estima-se que 44 milhões de pessoas no mundo vivem com demência, actualmente. Em 2050, esse número deverá triplicar. Os melhores profissionais de saúde natural dizem que se devem tomar medidas agora para garantir que não sejamos parte dessa estatística.

Pode ser difícil obter uma quantidade adequada de vitamina D nos alimentos, pois apenas se encontram níveis significativos em alguns deles, incluindo:

  • Gema de ovo
  • Peixes gordos
  • Leite enriquecido
  • Conservas de atum

As probabilidades são que a dieta não forneça este nutriente crucial em quantidade suficiente. Embora o sol seja a fonte mais conhecida desta vitamina, pode ficar aquém do ideal. Algumas pessoas, especialmente as mais idosas, não convertem de forma eficiente a luz solar em vitamina D. Dependendo do clima onde se vive, pode não haver luz solar suficiente para permitir a produção de vitamina D durante os meses de inverno.

Para muitos, os suplementos oferecem uma solução. As recomendações dos especialistas acerca da quantidade necessária de vitamina D para uma saúde óptima variam. Uma recomendação frequentemente citada é de 600 UI (Unidades Internacionais) para as pessoas com menos de 70 anos e 800 UI para aqueles com mais de 70 anos; no entanto, muitos médicos naturistas recomendam doses bastante superiores. Considere consultar um profissional de saúde fidedigno para decidir o que é certo para si. 

http://undergroundhealthreporter.com/vitamin-d-for-brain-health/

  

publicado por Rui Vaz às 21:15
link do post | favorito (1)
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.mais sobre mim

.pesquisar

 

.temas principais

  • Anti-envelhecimento
  • Fitoterapia
  • Nutrição

  • Receitas
  • Saúde mental
  • Suplementos
  • Terapias
  • .posts recentes

    . Exercício físico

    . Cinco analgésicos perigos...

    . Exercício da serpente par...

    . Frango com vinagrete de m...

    . A manteiga faz mal à saúd...

    . O perigo das garrafas plá...

    . Alimentos que queimam gor...

    . Chá de pimenta-caiena

    . Relaxe: Controle o estres...

    . As sementes de damasco pr...

    . Cúrcuma para a depressão

    . Frango com limão

    . Sistema físico ideal de t...

    . Mantenha um diário de gra...

    . Problemas do sono

    . É seguro cozinhar com aze...

    . Schisandra: o fruto silve...

    . “Cereais” rápidos e croca...

    . Como fazer um lift facial...

    . Combata a postura sentada...

    .arquivos

    . Novembro 2015

    . Outubro 2015

    . Setembro 2015

    . Agosto 2015

    . Julho 2015

    .tags

    . anti-envelhecimento

    . anti-inflamatório

    . antibiótico natural

    . anticancerígeno

    . antioxidante

    . cancro

    . cérebro

    . colesterol

    . desintoxicação

    . doença cardíaca

    . doença de alzheimer

    . estresse

    . exercício físico

    . facto ou mito

    . fitoquímico

    . fitoterapia

    . nutrição

    . óleo essencial

    . ómega-3

    . químico tóxico

    . receita sem glúten

    . suplemento

    . terapia

    . toxina

    . vitamina

    . todas as tags

    .links

    RSS